Élyda Chiara Rodrigues Ribeiro Campos

Na escola, desde 2008, os alunos com deficiência participam das aulas de Educação Física, porém estávamos observando muita agressividade em sala de aula, o que também se estendia às aulas de Educação Física.

Isso nos levou a idealizar um projeto inclusivo que contemplasse o respeito às diferenças e a solidariedade, e que essa mudança de atitude se estendesse ao dia-a-dia da comunidade escolar.

Com esse objetivo introduzimos o conceito e as vivências das DANÇAS CIRCULARES.

No espaço de tempo em que vivenciamos essa prática, já percebemos resultados positivos. Podemos destacar por exemplo, uma roda em que os estudantes do EJA, com deficiência intelectual e física, juntamente com uma turma regular com estudantes inclusos, professoras e algumas mães demonstraram sensibilidade e envolvimento com a proposta. O que nos leva a acreditar que esse projeto está contribuindo para uma mudança real de comportamento.

Com a implantação do projeto, o processo de inclusão da escola foi otimizado pois, conseguimos trabalhar com a turma do EJA (alunos com deficiência intelectual e física) junto com as outras turmas, reforçando a necessidade do respeito às diferenças bem como entender que as pessoas tem limitações e precisamos conviver com elas.

Participante do projeto Portas abertas para a inclusão – 2013

Compartilhe este conteúdo com seus amigos.
Comente ou compartilhe nas mídias sociais: