Jogo aproxima elementos químicos ao cotidiano de estudantes

Educadores desenvolvem material pedagógico acessível que facilita a compreensão de conteúdos e proporciona aprendizado na prática

Em 2018, motivadas pela formação em educação inclusiva do Instituto Rodrigo Mendes, resolvemos refletir sobre as barreiras para a aprendizagem de estudantes da classe do 9º ano B, da nossa escola, a EMEF Frei Damião, localizada no município de São Paulo. O grupo tinha 33 estudantes, dentre eles um cadeirante e um aluno com deficiência intelectual.

 

Na ocasião, a classe apresentava dificuldade na leitura da tabela periódica de elementos químicos. Então, para alavancar o aprendizado, estabelecemos como meta construir um material pedagógico acessível. A intenção era facilitar o entendimento do conteúdo e possibilitar uma atividade que associasse teoria e prática, utilizando os dados apresentados na tabela periódica para a solução de um desafio proposto em aula.

Elaboração do material

O Jogo da tabela periódica surgiu da percepção da dificuldade que os estudantes possuíam em memorizar o símbolo dos elementos químicos, bem como o nome e a localização dos mesmos. O material criado favorecia o trabalho colaborativo e a aprendizagem por meio da exploração, discussão, ponderação, troca e compartilhamento de conceitos aprendidos entre colegas e da busca de uma solução diferenciada e acessível a todos.

Em sala de aula, aluna sorridente e debruçada sobre mesa movimenta uma das peças do jogo da tabela periódica magnética. Ao lado dela, sentado e com os braços sobre a mesa, colega a observa. Fim da descrição.

Nossa tabela periódica magnética foi gravada na cortadora a laser em MDF e imantada com 12 cartelas em determinados símbolos, que também possuíam peças em MPF para encaixe.

+ Acesse o tutorial e aprenda a fazer a tabela periódica

O objetivo do jogo com o material pedagógico acessível era assimilar os conceitos da tabela periódica, conhecendo propriedades dos elementos químicos do grupo dos metais alcalinos terrosos e dos gases nobres.

Como colocamos em prática

Primeiramente, orientamos os alunos quanto às regras do jogo. Solicitamos que eles se dividissem em grupos de quatro pessoas e um aluno juiz ou aluna juíza. Cada grupo sorteava três cartas com perguntas sobre os elementos químicos e recebia peças dos símbolos imantados. Após lidas as perguntas com atenção, os alunos às respondiam escolhendo a peça com o símbolo do elemento químico de acordo com a propriedade selecionada. Em seguida, o juiz ou a juíza dizia se houve acerto ou erro. Diante do acerto, o grupo encaixava a peça com o símbolo químico na respectiva família da tabela periódica imantada. Com o erro, a vez passava para um grupo adversário.

+ Veja os conteúdos curriculares da BNCC que podem ser trabalhados com este material

Avaliamos que o jogo se mostrou satisfatório de acordo com seus objetivos, uma vez que apoiou os alunos e as alunas na memorização dos símbolos, nomes dos elementos e as propriedades de cada um deles. Além disso, permitiu que todos pudessem participar independente de suas dificuldades.

Compartilhe este conteúdo com seus amigos.
Comente ou compartilhe nas mídias sociais: